terça-feira, 20 de junho de 2017

FOGO OU LÁGRIMAS?



Em tuas chuvas
de fogo e de lágrimas,
costumas dizer
que sou um cão
vadio,

que falo
muita besteira
e que sou um traidor
de mão cheia;

mas digo eu
que, infelizmente,
sou apenas demasiado
humano,

e que,
seja qual for
o canarinho a cantar
em teu esplende
jardim,

ou que máscaras
venhas a usar em ébria
soberbia,


se não houver
alguma real transcendência
sobre os vagos marulhos
e as mortiças luzes
do caminho,

as coisas sempre
costumam terminar

em merda.