quarta-feira, 28 de junho de 2017

ENFIM, O (A)MAR!



... vencer duas
e desertos;

transpor
rios, mares, lagoas
e as cidades dos anjos
dos homens;

enfrentar
brisas frias, chuvas fortes
e vendavais sem
controle;

cantar,
do chão, as escalas das nuvens
e dos picos dos mais altos
montes;

seguir sob
a luz da lua e do sol, como
por entre as sombras
da floresta:

depois
de tudo isso, podemos
dizer que dançamos juntos
em magníficas ondas

do vasto (a)mar!