quarta-feira, 28 de junho de 2017

O SILENTE SOM DO VENTO



... quando,
em última vez, nos partíramos,

tu dizias
amar a outra pessoa;

e eu
fui, então, andar às cegas
por outras vias de igual
indefinição:

mas,
cansado de ser só sombras
e pedras, voltei para
te ler

e vi ali
meu nome invisivelmente
grafado entre algumas entrelinhas
de tuas composições!