segunda-feira, 26 de junho de 2017

NÃO SE AMA SÓ AOS FLUTUANTES CÉUS!



... quando,
por estas estranhas bandas
humanas,

trava-se
uma batalha em nome
do amor,

não há
que se falar (de) ou buscar
a refúgios que alivie alguma viração
avessa do outro
autor;

e, se ele
se passar, por algum motivo,
morto, não há que se falar (de) ou buscar
algo que ameninze ou justifique
as eternas

ausência,
angústia

e dor!