segunda-feira, 26 de junho de 2017

NOITES SEM LUAR XXIII



Um rato abrigou-se
em minha casa

e, para, completar,
trouxe a concumbina
namorada;

por meses e meses,
permiti suas estadas

– e até se tornaram
meus amigos

nas frias noites
estriadas –

mas não teve
jeito:

quando mais confiavam
em mim,

ao pedido de minha
amada,

impiedosamente,

extingui-os
com toda sua

ninhada.