quinta-feira, 29 de junho de 2017

QUANDO TU TE FOSTE EMBORA



... aquela lágrima
que perdeste ontem à noite,

eu a peguei,
e eu a bebi ficando bêbado.

Enquanto
o vento também chorava
e sopravatriste,

apaguei
entre sonhos e pesadelos.

Hoje,
quando acordei, fui ao terreiro
e vi as folhas de outono
caídas:

lentamente
uma fina chuva caia, em minha
alma amanhecidamente

vazia!