domingo, 25 de junho de 2017

LEMBRANÇAS



Lembro-me de teu corpo curvilíneo
e minha haste se levanta,

lembro-me de tuas palavras faroleiras
e minhas chuvas deságuam,

lembro-me de tuas asas de anjo,
e minhas sombras se rebelam;

e eis nossa estória entre verbos afiados,
fantasias laivas e insânias incontidas

naquele eterno e embaciado

crepúsculo morto.