sexta-feira, 30 de junho de 2017

E, ASSIM, O MÓ SAPIENS VAI MOENDO!



... sinuosos
rios vivos, paradoxalmente
sujos e limpos,

líquidos, sim:

sinuosissimos
rios vivos, surdos ou em gritos,
inertes ou em camas
divididas,

sublimes
ou às devastadas e espúrias
planícies;

mas
sempre, linquidamente,
sinuosos rios vivos que, um dia,
a um mar de nadas irão

desembocar!