domingo, 25 de junho de 2017

NOITES SEM LUAR XI



... um vento
ainda carrega até a mim,
de tempos em tempos, a pureza
de Ana,

não aquela
que ela dividia com tentilhões
de paus duros, com anjos-tubarões
ou com estrangeiras algas
marinhas,

mas aquela
que só lhe foi possível atingir
sem ser nada nesses ilusórios e insanos

caminhos!