terça-feira, 27 de junho de 2017

NADA MAIS TEMO, MAS TU SIM!



... se não me falta
coragem para morrer,

por que
me faltaria coragem para,
no último fronte,
te amar?

Tu te ensismesmas
com a monótona e fútil realidade,

foges dos sonhos,
das quimeras mais sublimadas
e de tudo possível além das rasantes
miragens,

desaprendendo-te

de brincar?