segunda-feira, 31 de julho de 2017

VAMOS DEIXAR UMA COISA CLARO



... como tu és
lamentadeira e chorona,
não percebes que, às vezes, tu chegas
___ a me causar náuseas?

Não era preciso
eu ter que escrever isso,
___ era?

Vamos ser claros
e práticos: espero não ler mais
choramingos teus por causa de marido
___ ejaculador precoce e tosco,

por causa
de velho que tu fez ficar de pau duro
e depois sobre ele jogou
___ a culpa,

por causa
de teus pedreiros mijões em tua pousada
que não mira nenhuma
___ flor,

por causa
de macho que te deu o fora
e te deixou frígida
___ e traumatizada;

em vez disso,
acho que só deverias reaparecer
perante mim, se fores capaz de desenvolver
temas e assuntos melhores
___ e mais vastos,

afinal,
convenhamos que não sou nenhum
padre para suas confições, nenhum conselheiro
para tuas lamentações e nenhum psiquiatra
___ para tuas insânias e lamentações!

NÃO SOU TEU PSIQUIATRA



... bem que
tu podias, pelo menos, tentar
me valer alguma coisé o fim da picada,
tu me deixaste tão cansaa, já que me pediste
favores e me agradeceste por
conselhos;

porque assim
com suas palavras tortas,
com seus reclames descontrolados,
com o fora tomado que me contou ter
te deixado tresloucada

___ fria,
___ amarga,
___ amortalhada,

tu estás
conseguindo, com toda essa
merda ao meu ouvido
vomitada,

cansar
até nosso sublime e negro silêncio,
cada vez mais solidificado!



NÃO PODES ME ENDENDER. SO PODES ENTENDER AOS ANJOS E AOS PUTOS



... eu e meus pensamentos
ora fantasticamente luminosos
e ardentes,

ora fatidicamente
chuvosos, sombrios e descontroladamente
dementes;

tu e teus
cabelos a brincarem
com o vento,

ora em mistério
de beleza, prazer e fantasiosos
encantamentos,

ora te pensando
estar numa estrada infinita,
sem perceber que está breve o final

apagamento!

NÃO SEI MAIS



... a te esperar,
a te esperar no sonho, na cama
___ ou em qualquer lugar,

irrazoável magia,
beleza esculpida ao espanto
___ de minhas vista,

apavoramento
de minhas mais seguras sombras,
vadio perdimento de meus mais altos
___ e alvos voos;

já não sei mais
se ainda te guardo nesta última tarde
___ em que me encolho

ou se te jogo
de vez entre os homens, os cães
e os anjos de sóis
___ ocos!

O ESTRANGEIRO



... ando sufocado,
incompreendido, como se morasse
___ em terra estrangeira;

mas não,
eu nasci foi aqui na mesma
terra sapiens de meus companheiros
___ onde cresci aprendendo

a jogar,
a sonhar, a me masturbar,
a foder, a escolher das ávores as mais
___ belas e goatosas frutas,

fugindo,
fugindo, fugindo, com minhas máscaras,
como todos vós e todo humano
___ ser,

de nossas
sujas pegadas, de nossas quimeras
devastadas, de nossos desejos e fantasias
louca e escondidamente
___ libertadas

e de nossas
quedas em céus e abismos
desta longa e dura
___ estrada!

DO EGO - CAPÍTULO DE UMA AUTOBIOGRAFIA INACABADA



Adormecido eu sob a visão estreita do que continham os falantes professores com seus boletins e livros, incapaz de apreender do que dispunham em suas cátedras frágeis. Incapazes eles e todos de apreenderem do que eu secretamente me transformava.

Havia ali tantos monstros que era possível algum avanço por entre o que arrotavam despercebidamente. Haveria de aprender não o ensinado, mas também sobre os mitos falsificados que vestiam branco, em poses cavalheirescas. Haveria de tentar visualizar neles o que tentava manter invisível. Estaria eu preparado para tal escolha? Feita. E de feita, germinaram as consequências.

Entre todos os observados despercebidos, a diretora não arrotava muito. Era-me, de fato, um ser estranho. A obesidade escondia um silêncio que me intensificava a vontade de entrar, o que não foi difícil. Já me habituara em espraiar minhas insalubridades verborrágicas.
- Escolha de ratos, medíocres doutores que pensam ensinar alguma coisa, mal sabendo de si mesmos. Filhas da puta!

Talvez poucos a tenham visto além daquela obesidade mórbida. Mas eu vi um canibalismo que me aliviou das penas a mim mesmo impostas: Com a frieza da postura e o olhar sombrio mostrou em suas ações a resposta a minhas incursões ao gabinete. Agradava-me descortinar . a confraternização dos ilustres mestres, que tentavam moldar, às suas dissemelhanças os templos que desabrochavam.

Ouvidos atentos ao que já havia efluído silente à mente alucinada. Nenhuma descoberta. Estupros aos próprios ensinamentos surgiam verbalizados de suas entranhas. O cão da escola passou a ser visitante comum, sem que percebessem que deles se alimentava além da bela casca que os envolvia.

A pupila da obesa extravasou em reação à ação do pequeno cão raivoso com seu filho por uma disputa qualquer, antes da marcha da independência, feita todos os anos pelas ruas da cidade. Impossível não ver o cerne daquele dragão que cuspia e aprender sobre a inevitabilidade da ira daquela gente estranha.

Meninos não têm tanta maldade: a primeira lição, à qual saboreei silenciosamente depois, de frente ao mundo que eu queria compreender. Esbravejou e espancou sob os olhares de seus comuns.

O espancamento foi aceito em meio ao medo que aprenderia a controlar posteriormente, assim como a exposição obrigatória em frente ao pelotão, humilhado, sem que ela percebesse que também alimentava a força interna que tentaria consumir o mundo em seus secretos esconderijos, e que disso enfrentaria os gigantes do porvir.

E tantos e de tantas formas que nada mais, nada menos a olhar do que apenas sentir o rio com destroços que foram alimentando um poder sombrio que devoraria da própria carne, cuspindo nas redondezas.

Ferro e fogo. Mentalmente invisível em todas as suas composições. Crescia o monstro assim. Haveria a hora certa de engolir moscas, já premeditado pela mente ainda não ampla para absorver o conjunto, mas tão somente as partes dele. E não tardaria que viesse a fatalidade: confrontaria gigantes e pairaria, certo ou não, sobre eles.

Fortalecia-se o ego quanto mais me abrigava em meus esconderijos. Poder-se-iam saber o quanto praguejei ou amei? Ou como se constituí as cousas somente para meu agrado ou um lugar onde expurgar entranhas?


Do ego fortalecido a vontade de violar. De sobrepor-se. Filosoficamente ruminava em busca de conhecimentos para ter um olhar panorâmico. O ego do monstro, outrora mascarado, começava a se sobrepor em leituras diversificadas e ainda não compreendidas pelos que se sentiam preparados.

A comunialidade não atraía. A visão devia estar em pontos diferentes e horizontes vastos. A Cosmologia foi o primeiro porte. Seguiram-se as ciências e a matemática. A língua-mãe de certo deveria ser dominada também tão somente para desmascarar letrados. A filosofia veio mais tarde e contendo meus maiores opositores. A fé teve seu ápice para morrer em seguida, como tudo no qualquer em que me transformava.

MORTOS AINDA EM VIDA



Entre aqueles esplendes
pássaros amantes,
as insânias incontidas
e as tempestades verborrágicas
foram tão fortes

que lhes deslocaram
as retinas cegas,
e lhes curvaram,
em dores e angústias
severas,

sob a inexorável descoberta
dos espúrios reflexos
que se lhes emergiram
às superfícies.

TEU AMOR PURO: TALVES APÓS NOSSAS MÚTUAS MORTES



Dizia me amar
com pueril candidez,
mas, em silêncio

– às vezes em chuvas
púmbleas –

odiava-me,
viceral e espiritualmente,
tanto que a amarrei
a varais humanos

e a apedrejei com palavras
de morte.

NUNCA SANGRASTE A ALMA, MAS AINDA VAIS SANGRÁ-LA!



... tu, bela mulher,
podes te definir bela, esplêndida
e altamente culta
___ e inteligente,

e tu podes
frequentar cafés-concerto
onde, como Ana, vão tipos
___ como tu e eles;

mas creia-me,
quando te vejo ( e a eles, vaisosos menestréis
com suas gravatas, com suas bravatas
___ e com suas palavras decoradas;

(e eu sempre percebo
bem quando olho para um semelhante
___ meu)

a única
coisa que vejo é um monte de carne
senciente que, sem saber,
relmente vive à beira
___ do erro!

FILÓSOFO TALVEZ, COMO DIZES; MAS TU ÉS, NO MÍNIMO, INCAUTO!



... em tempos estranhos,
escuros e mortos como esses,

perguntou-me
um filósofo pagão, talvez porque
eu seja um niilista arraigado
e pesado:

“Por que
você não acredita em Deus,
Thor Menkent?”

Eu olhei aquilo,
aquele ser barbudo do tipo
reflexivo

e, antes de responder,
por um segundo pensei: “Ah é,
ele também é humano de beira de erro,
e lança seus erros como
acertos”;

e, então,
eu lhe disse” “Meu caro filósofo,
ser reflexivo, mas onde foi  que tu tiraste
ou o que leste para me perguntares algo a partir
de tua convicção de que não creia
em Deus?

E tu achas mesmo
que esta vida-prisão tão dura,
difícil e cheia de dores nos foi dada
à toa, com seus temperos
de dor, de prantos
e de choros?

Ou tu achas
que o ocaso simplesmente pode
ter feito isso assim de modo tão vasto,
senciente e sofrido,

apenas para que,
de um ponto abnômalo, pudesse-se
recriar, racionalizar ou imaginar
algo que somente seja
às nossas retinas?

Meu caro filósofo
reflexivo, como podes fazer uma pergunta
dessas, inferindo que eu não creia
em Deus

se, para mim,
é exatamente porque estamos num mundo
cheio de dores, de destroços,
de desgraças,

como as fomes,
as doenças, as separações, as guerras,
os estupros e todo tipo de aberrações
humanizadas

e de coisas
somente por nós adulteradas
que Deus, para mim, não apenas existe,
mas é uma indispensável
necessidade,

para que
eu não me tombe de uma vez
neste mundo que parece tão vasto,
mas que é cheio de vazios
e de nadas!

OS DOIS PONTOS FRACOS DOS ANJOS-GAMBÁ SAPIENS!



... impotência
sexual e ejaculação precoce:
falta de bala na
___ agulha,

a palavra alva

à boca e escondidas punhetas
em que, imaginando estórias e glórias,
pode-se pensar o herói e o melhor
___ do mundo na pega;

desprovimento
de uma mente demente:
trépido sofrimento com a pseudonormalidade
___ dos outros,

e escondidos
atos de suicídio, embora se possa
comer qualquer
___ coisa!

SER PARA O SER



... nasce, morre,
acorda, deita,
___ reza, fode ou se masturba

às claras
ou às escondidas,
mas nunca fica cinétizado sequer
___ com a volátil palavra;;

vai, volta,
voa, cai na bosta,
___ serve para ser servido,

diz que
ama é para ser amado,
se oferece desejo espera ser
___ desejado,

o ser é nada
sem ser para o ser,
e ser para o ser é um racional subterfúgo
mascarado, abnômalo
___ e idiota!

EU USO, TU USAS, ELE USA, TODOS USAM!



... que isso, baby,
mas usar máscaras não é
um problema,

todos nós
as usamos para esconder
nossas ids ferrenhas, nossas fantasias
absurdas e nossos sêmens derramados
às escondidas;

portanto,
ter máscara, além de normal,
é imprescindível para lidar num mundo
onde todos os demais atores também
usam mácaras.

Olha baby,
fica tranquila com isso,
usa todas as máscaras que tens
sem receio algum,

mas evita
tentar trilhar o caminho dos anjos
te desprouvendo das máscaras, pois a dor
pode ser insuportável, ao descobrires
que nunca tiveste real
e verdadeiramente
uma face!

AQUI NÃO MORA NENHUM NOBRE, NENHUM ANJO E NENHUM REI!



... eu me
tornei do sapiens todas as verdades
silenciadas por nobres
___ máscaras

e todas
as atrocidades imagináveis que
cometem por detrás das cortinas
___ dos espetáculos.

Ora que digo, pois,
que em terras de anjos, de reis ou de gigantes
___ que se vestem de ouro,

eu faço absoluta
questão (para suas quedas
certeiras devido a suas arraigadas
___ vaidades)

de ser
o barro escuro e o sebento lodo
que ficam, em que pisan,
___ chão!

SOU IGUALZINHO A TI E TEUS ANJOS, SÓ QUE MENOS HIPÓCRITA: ASSUMO-ME HUMANO, DEMASIADO HUMANO!



“ Não sinto vontade,
não sinto tesão,
não consigo amar ninguém,

acho que
foi depois que tomei
um for a”;

dizia ela
a um cão a quem chama
de amigo;

e ele lhe
salientando “sabe, sim,
sabe que até teus amigos e os amigos
de teu marido batem puhetas
te imaginando escondidos,

e sabes
muito bem que Deus não te
deu esta boceta só para fazer xixi,
mas também para te tocares nela
e foder”;

a diferença
é que o cão nihilist assume tudo que
faz, inclusive as punhetas imaginando
uma amiga bonita pelada

com quem
em fantasia tudo faz
enquanto descasca a banana
em silentes delírios até
o orgasmo;

e tu,
e teus amigos puritanos,
e tuas amigas angelicais
metem do mesmo jeito vossas
mãos escondidas nas
genitálias,

imaginando corpos
e fantasias, de amigos ou não, que
deixariam até o diabo
excitado;

mas sob
as luzes verbais de vossas reuniões
e de vossas apresentações ao espetáculo,
vestem máscaras brancas e fingem
que nada fazem!

QUEIRA. NAO É POSSÍVEL? INVENTA!



... já pouco importa
se consegues iluminar todos
os dias, dos caminhantes deste mundo,
com alegrias;

porque eu,
como ser sombrio que me tornei
nesta rústica floresta,

já não posso
mais mesmo sonhar ou tentar
refazer uma nova e limpa cabana onde possamos
nos amar; (do mundo) livres das imagens,

das fantasias e das tiranias! 

RECRIAÇÃO



... e Deus fez
o homem com sabedoria, onipotência
___ e bondade infinitas;

e, uma vez feito,
o homem refez de seu Deus um objeto
de guerra, de ideologia
___ e de política;

tornando
tudo que outrora sublime fora (sem seu
modo de ver) em reinauguradas
___ apostasias!

A VAIDADE



Não devíamos
andar por aí, estendendo tapetes
só depois que terminamos
___ nossas jornadas,

como que
se só pudessem tropeçar aos buracos
e pedras dos caminhos nossos
___ irmãos mais incautos;

antes, pois, estendamo-nos
o próprio tapete e dele cuidemos bem
para que, aceitando as próprias
___ fragilidades e dores,

melhor entendamos
___ as outros.

RETILÍNICOS MOLDES



Geralmente,
as únicas coisas que desejam
é inventar sonhos aos caminhos do mundo,
alimentar desejos às quentes
___ peles dos corpos

e fiar-se
em vãs e vis esperanças
de que tudo seja realmente tecido
___ com feios de verdades.

Às vezes,
bem raramente,
um ou outro coração e alma conseguem
___ ultrapassar as barreiras,

e se entregam
– incondicionais – para serem
estraçalhados por faustas imagens
___ e pedras afiadas.

VIDA SAPIENS



A vida é vossa,
e as escolhas que nela se fazeis
___ também;

não convém, pois,
que a deixeis assim tão perdida
em submissão aos próprios
___ egos sorrateiros.

E sabeis
___ muito bem do que falo:

há luzes e sombras
em todos os caminhos, estejais atento,
pois, porque a vós é que
___ compete

não só decidir
por onde irdes, como de que forma
vos postares sobre
___ os palcos,

com vossas palavras,
ilusões e ideais variáveis ou com alguma
sublimidade que façam surgir
de vossas forças
___ interiores.

A REFLEXÃO É A CHAVE DA PASSAGEM



... oh, amiga,
oh companheira de poesia,
___ oh flor dos meios-dias,

eu não sei,
eu nunca soube
e eu nunca saberei de muita
___ coisa,

mas poderíamos
ver juntos a quântica, o ocaso
e o santo e inprevisível baile das partículas
___ de nós libertas,

certa
vez citadas port u;

mas, em troca,
tu podes me ensinar como posso
vestir uma mascara
___ qualquer,

com a qual
eu possa me calar e, para não mais
___ te incomodar,

não dizer
“te amo”, mesmo te amando
___ tanto?

(DES)CONSTRUÇÕES



Construir um sonho
cândido assim e senti-lo, às vezes,
caindo em tempestades
da nuvem,

já deixa amargas
cicatrizes;

cultivá-las
– as chuvas e as feridas abertas –
já é desafiar a resistência
dos limites

e prenunciar uma horrenda

morte de asas.

O SEMIMORTO



“Morreram-se
___ seus sonhos, Thor Menkent?”

Bem, ando-me
com um cansaço que parece
___ mumificador;

e incapaz
provavelmente até de entender
___ a esta tua pergunta,

uma vez que,
de sonhos (idealizados de tantas formas),
o que vi ou vivi foram reprises
___ de filmes passados,

mudando-se
tão somente personagens, enredos
e o modo de demonstração
___ das senciências.

Hoje,
o que eu mais ansiaria
era ser como uma pluma,
___livre e leve,


à mercê do vento,
e distantemente do que se a possa tocar
com desvarios e imagens
___ de qualquer ordem.

A PROFECIA



... um estrangeiro
___ te tocará de longe,

como nunca
foste nem serás mais
___ tocada;

à noite
seguinte, ele faltará
por não mais estar
____ aqui.

e tu
lhe setirá muita
___ falta!

É BOM SABER USAR A PALAVRA



... pastores dos gados,
pastores das ovelhas,
pastores dos urubus idolatrados,

pastores dos pardais
com seus paus ora pendurados
ora eriçados,

pastores das mulheres
com suas vulvas ora esquecidas e ressecadas
ora excitantemente
molhadas;

pastores filósofos,
pastores teólogos,
pastores ladrões dos mais tolos;

todos vós,
ouvi-me, se houver justiça em algum
lugar além deste que agora
havitamos,

estais
vós todos comprometidos
com vossos rabos!
... deixa-me
supor que existimos
___ inexistindo,

que tudo
não passe realmente
do nosso particular modo
___ de ver as coisas,

mas que
elas não sejam realmente
como as vemos e (re)nomeamos
___ com nossas senciências,

e que,
um dia, voltarão ao apagamento
natural e frio sem as podermos
___ mais ver:

ram,
digo, deu para perceberes
nossa grandiosa
___ pequenez
 

para
perdermos tempo,
abandonando nosso comum
___ sonho?

EU SEI. E TU?



... eu sei
como é essa coisa louca,
não te preocupes,

eu juro que
sei como é o mundo com suas imagens
por nós semeadas,

com são os amores
por nós falados, com são as fodas
por nós dadas,

com são as fomes
por nós provocadas, como são as guerras
por nós declaradas,

tudo com
alvas máscaras por nós
todos os dias
usadas

só para disfarçar
o mal cheiro que temos aos fundos
de nosso quartos.

Por isso,
não te preocupes e te vivas
da melhor forma que
possas,

porque
de mim eu assumo que
eu sei bem como são essas coisas
loucas,

e eu sei
que eu faço parte dos loucos
que andam por aí promovendo todas
essas coisas loucas!

EU E MINHAS COISAS MORTAS



... podes
até pensar que gostas de mim
e dizer que me
amas,

mas, quando
eu me estiver diante dos campos
secos, dos frios desertos ou
das soturnas sombras
das noites;

pega rápido
teu par de asas brancas,
e vai em busca de campos
mais floridos, mais coloridos,
mais brandos,

porque
eu te garanto: é tão ruim,
tão pesado e tão triste nesses
cantos

que te porias
em eterna dor e pranto!

SER(?)



... toda vez
que eu tento dizer que nosso
___ tudo sapiens é nada,

eu mesmo
me perco dizendo que alguma
coisa que digo
___ ser nada

tornou-se,
em meu centro, no momento
em que digo ou escrevo
___ em algo;

e é exatamente
este paradoxo que me envia
à subjetivação da grande barreira,
da abnomalia a que ela pertence e do apagamento
sem sua senciente
___ interferência;

ou seja,
em resumo, é exatamente
o tudo que podemos e (re)fazemos
que comprova que, perante a casualidade
e a virgindade do Cosmo, somos
___ nada!

ESTE LUAR JÁ NASCEU MORTO!



... como é vão
meu triste pranto, por esses tão
lindos olhos, derramado;

como é triste
amar com fogo ao coração
e à alma e pousar ao topo de uma
montanha gelada;

como é duro
ter o fogo das estrelas e quando
se chega, sente-se apagado
por frios mares;

ah, seria muito
mais prudente ir à superfície
ou, em vez de teu café-concerto, visitar
uma zona da cidade,

mas como faço
para conseguir me manter,
deste cristal ensandecido, meus sonhos,
minhas fantasias 

O ABISMO



... silenciaram-se
todas as cordas de minha
___ lira,

afrouxou-se-me
aquela força que a sonhar
___ me impelia

e eu já
não consigo mais imaginar
sequer um par de asas de luz
nessa terram (com suas esplendes
___ imagens) em sangria:

em breve,
não darei adeus, mas retornarei
à minha pátria
___ vazia,

e vós
só vos sabereis quando não
virdes mais por aqui a cinza cor
___ de meus abismos!

sexta-feira, 28 de julho de 2017

SOLIDÃO FINAL



... ao fim,
não restará na noite uma só
___ de minhas estrelas,

uma só
de minhas flores,
uma só de minhas amantes,
___ um sé de meus sonhos;

ao fim,
não me restará nem
___ a própria noite,

apagar-me-ei,
e comigo tudo que somei
ou que subtraí do sincero universeoque verdadeiramente nunca
___ conheci!

TU SABES SUBJETIVAR BEM SOBRE O PARADOXO DO QUE SEJA OU NÃO D(O)O SER



... ei-la, novamente,
brilhando ao subjetivar, do ser
e do não-ser, o desarrazoável;

eis a coragem
para tentar avançar para além
das visíveis e imagináveis
margens,

eis o que
não se pode fazer com a razão,
com a ciência, com a metafísica,
nem com a fé e a crença
em religiões e seitas,

eis o que
jamais se pode buscar em algum lugar,
a não ser em nós
mesmos:

sim, ei-la
aqui novamente a falar com uma sabedoria
que não podemos interpretar, mas
a partir dela tentar
avançar;

ei-la
e ei-la com a espiritualidade de que falo:
tal inatingível elucidação
da aberração,

em impossível
concretizão,mas também em constante
perseguição!
... tolice
o que dizem, a única verdade
___ que conheço do ser,

___ e de mim,

é que,
quando ouvirmos pela última
___ vez o canto do canário,

as estontentes
cores dos beija-flores ou ouvirmos
os belos cantos dos tentilhões
___ e dos canários,

transformeremo-nos
em pó e um monte de átomos disperses
e não deixaremos absolutamente
___ nada a ninguém!

NÃO, NADA NORMAL


SER É VIOLAR AS COISAS NATURAIS



... só uma coisa
não há, decerto, no Cosmo;

(e, paradoxalmente,
para ela só há o que lhe
há).

pois ela
quebra o caos e as infinitas
possibilidades que
nele há

fazendo cessar
o que for que, sem ele haja,
e a haver somente o que, com
suas retinas vê!



INSENSATA ESCURIDÃO



... se és luz,
estás certa e não podes ver,
em teus leitos, nenhum tipo de sombras
___ ou de vazios,

posto que
a tudo, de alguma forma
___ ilumina;

mais triste
é minha sina que, sendo
___ sombras,

mal posso, sem morrer,
agasalhar-me contigo, em alguma
___ noite fria!

AMOR CORRESPONDIDO, OU NÃO:AMBOS COM SUAS MEDIDAS DE DOR!


... amar
e reciprocamente ser amado
já não é bom, porque dói
___ ao coração

até
e o ser amado, num tropeço,
machuca o dedão
___ do pé;

agora,
amar tanto a quem não
___ que nos ama,

é o bicho, é o cão,
é a autoaniquilação
___ infernal!

Enfim, resumindo, como dizia Bukoski: "Amar é o cão do diabo!"

NEM TEÓLOGOS, NEM FILÓSOFOS, NEM METAFÍSICOS, NEM NINGUEM, SENDO, SABE EXATAMENTE O QUE É “SER”!



Dentro, às profundidades
côncavas do ego, há-nos tantas dúvidas e brumas
a fervilharem como incandescentes gotas
de ilusões, esperanças, medos
___ e sombras

que, às frinchas
mais angustiantes e profundas do caminho,
torna-se inevitável não
___ contemplarmos

– mesmo aos que,
como eu, não tenham em si alguma
fé válida em deuses criados
por homens –

o grande e sublime
exemplo, junto aos detritos da humanidade,
de tua corajosa, salvífica e dolorosa
___ paixão.

PARADOXO EXISTENCIAL



Dize-me para que
nos valham tantos e tantos anos
nesta inglória existência
___ de abstrações,

onde nos andamos
em ciclos turvos de lavores,
desejos e ilusões, sempre a trocarmos
– como de roupa – de amores
___ e dores;

sempre (negando
nossos próprios reflexos) a buscarmos
novos planos, sonhos
___ e enganos,

e eu te mostrarei,
enfim, o segredo que tanto pedes
sobre o abnormal e espúrio
___ ser humano.

EI, ACORDE ENQUANTO É TEMPO!



... embora
possa me assombrar tal
___ pensamento,

minha louca
lucidez me diz, sem nenhuma
___ sombra de dúvidas que

(senão em vida,
___ pela eternal morte)

um dia
___ nos será demasiado tarde

e iremos,
inevitavel e inexoravelmente,
___ nos separar!

ACEITAR-SE HUMANO É O PRIMEIRO PASSO!



... a sublimidade
está na sobreposição
da espiritualidade sobre as demais
___ imanências sapiens;

ou seja,
para refletir
realmente a espiritual luz
___ divina,

como para
cantar um amor de verdade
entre um homem e uma
___ beldade,

é preciso ter-se
em mente que o melhor
___ instrumento,

(embora
seja muito prazeroso quando tocadas
e raladas) não são
___ as genitálias!

ACEITAR-SE HUMANO É O PRIMEIRO PASSO!



... a sublimidade
está na sobreposição
da espiritualidade sobre as demais
___ imanências sapiens;

ou seja,
para refletir
realmente a espiritual luz
___ divina,

como para
cantar um amor de verdade
entre um homem e uma
___ beldade,

é preciso ter-se
em mente que o melhor
___ instrumento,

(embora
seja muito prazeroso quando tocadas
e raladas) não são
___ as genitálias!

SUPERA AS BARREIRAS DA CONFINAÇÃO COM O PODER DE TUA MENTE!



... uma mulher
e uma luz como tu não devias
___ ficar em cárceres,

mesmo que
eles estejam repletos de coisas
e de coisas que possam satisfazer
___ teus desejos,

e mesmo que
eles deem vista aos céus
___ e aos mares:

uma mulher
e uma luz como tu deveria
dominar o reino dos ventos e das
___ estrelas

sem ligar para o que,
quem sob eles habitam, pensam
___ e falam;

olha, baby,
uma mulher e uma luz como tu
realmente não deverias
___ ficar em cárceres,

por mais que,
deles, sejam as visoes
___ fantásticas!

O REINO FOI TEU, NÃO MEU, LILITH. EU APENAS OS VARRI E FREQUENTEI PARA TE SERVIR



... e ela pediu,
em extrema loucura de prazer

“Amarre zeus
na árvore de frente para ela,
domine-o e coma-o, tua mente e tu
são fortes e podes;

e depois disso
coma-me como quiseres
pois te serei servida por inteiro caso
queiras minha carne ou minha
alma”;

e eu o fiz,
e ela teve o orgasmo que
julgou idílico.

Em outro dia, ela disse
“Coma-e tu morto, eu te quero
morto, e sei também que com tua mente
a isso podes”,
​​​​​​​
e a deixei
foder comigo imaginando
meu cadáver no caixão e nas sombras
do inferno,

e ela teve um orgasmo
infernalmente intenso e maravilhoso,
entre tantas e tantas mais
coisas.

Então um dia
ela me perguntou: “Você não
tem nenhum limite?

ao que
imediatamente respondi:

“Não depois que,
por amor a ti, dominei e fodi
um mito forjado como
deus

e me permiti a ti
no reino da morte com aquele recíproco
tesão diabólico!’

SERÁ MESMO QUE OS DEUSES ABDICAM DISSO?



... se o sentir humano
em seus sonhos, em suas fantasias,
em seus amores, em suas concupiscências
e em seus desejo,

mesmo os mais
absurdos e socialmente escondidos,
entre as demais máscaras,
do espetáculo;

estariam condenados,
os deuses, a (para evitarem tal humano caminho
e se manterem divinos)

a nada que
se relacione às senciências
humanas, sentirem?

O ÚNICO MODO DE ALMEJAR A PERFEIÇÃO É A POSICIONANDO SEMPRE NO AMANHÃ



... os caminhos difíceis
de ontem devem ser evitados
no hoje,

conquanto
conseguíssems, porque
os caminhos difíceis de hoje
também irão quere ser
evitados amanhã,

donde concluo
que, inevitavelmente, o caminho ideal
está sempre jogado
no porvir,

mas quando virá
ou realmente podemos crer no porvir,
posto que ele e sempre uma abstração do que
vemos, pensamos e almejamos
no momento presente?


quinta-feira, 27 de julho de 2017

EU ESTOU TENTANDO ATINGIR O TEU CUME



... a quem mais
eu poderia tentar me socorrer
para tentar amar novamente, a não
___ ser você,

que tens
muito mais do que percebes,
que és muito mais do que pensas
___ sentir,

que realmente
podes me dar algum conforto que
faça meu terrível inverno
___ pausar?

NÃO HA COMO AMAR COMPLETAMENTE SEM SER MONSTRO E EGOÍSTA!



... não, baby,
não sou, embora possa parecer
___ ser,

aquele
tipo de homem que,
quando ama, só sabe vomitar
leites entre as pernas
___ da mulher;

eu tenho
uma escura tendência
de tentar alcançar também
___ sua alma,

procurando
ultrapassar todos os limites
próprios e impróprios, mundanos
ou idólatros do desejo que sirvo
___ e do qual me sirvo,

a fim
de evitar o vazio sem sentido
que costuma vir
___ depois!