segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

VEM, BELA!

... vem, Bela,
aproxima-te e se apossa de meu corpo,
mas não revele a ninguém
meus segredos,

vem e me toca
com a língua e com a boca
e sente minha resfiração ofegante
e meu mastro em rijo
descontrole;

vem, Bela,
vem aliviar minha febre
e desvendar, em êxtase, o frágil

pudor do mundo!