quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

O ÚLTIMO ABRIGO!

Quando minha mente
se enche dos tons e dos cheiros perdidos
de nossas secretas e fulgas
___ noites,

é que sinto, enquanto
lágrimas invisíveis começam a fluir –me
___ ao rosto e à alma,

___ que nada:

nem alguma senhora
que venha a me regozijar amores na cama
para tentar me agradar
___ como amante,

nem o mar,
nem a lua, nem aquela estrela distante,
nem qualquer coisa que
___ eu ame

possa superar
a exilada infinitude daqueles
___ momentos.