segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

RAROS MOMENTOS FLORIDOS!

... lateja minha mente
a imaginá-la ali, sentada,
 escrevendo sensualizada pela camisola
e lingerie,

despeta-me a sede,
e a fome de devorar suas poesias,
suas fantasias e suas insânias,

acende-se-me o desejo
de possuí-la numa distante presença
que se faz em mim
naquela hora:

então,
dou-lhe um beijo,
desço tirndo-lhe a blusa,
acaricio seus peitos, ainda descendo
em busca do tesouro abaixo,

abro-lhe as pernas, e entro-me:
ali nada de falar, o silêncio é valioso,
se fantasias, sem sonhos, sem miragens
e sem chuvas de fogo,

exceto a que
deliciosamente jogo em seu corpo,
como um servo temporariamente retirado
das sombras por tê-la invocado
à transcendência!