segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

A TEUS OLHOS MORTOS!

... fosse o mar
a tua casa e eu me tivesse
tornado ondas manipuláveis
a seu desejos e agrados,

mas não era,
e custou-nos muito a resistir
àquele maldito amor, com nossas
mãos e almas entrelaçadas:

hoje
movo minhas lembranças
ao passado e, se soubesses de minha
tragédia e dor,

certamente
desceria de entre as estrelas
para me consolar com sonhos, beijos

e afagos!