quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

DELIRO E CAMINHO, MAS QUANTO AO AMOR...

... como tudo
inexoravelmente de mim é feito
por imanentes escolhas,

condeno-me
a sentir apenas com a carne,
e não mais com a alma
ou com a mente,

separo as gotas
de chuvas das de gotas de  prazer e de veneno,
e alcanço as entrelinhas
do poema;

mas quanto ao amor,
declaro que já me transformei
tão somente na própria

dor que tenho!