segunda-feira, 27 de novembro de 2017

A VERDADE DOS BORDÉIS



... a puta está alvoroçada
e sua inquietude pode ser evidenciada
ao leito onde terá de, mesmo sem amar,
apagar a fogos e se lidar
com porras;

a ela ninguém,
nem os anjos e menestréis
que frequentam escondidamente
os bordéus,

dão mais que isso
e que alguns trocados,
tudo em paga de sexo, antes de voltarem
para suas casas

e ficarem
com suas esposas, com seus filhos,
e orarem para seu Deus
onipotente.

As putas, sim,
sagradas e profanas putas,
delírios dos mais nobres e desonradas
pelos mesmos com seus verbos
impiedosos;

mas não hoje,
mas não agora neste momento,
agora o que lhe serve é a verdade
do verbo

a expor o fedor
dos que as comem e depois as maldizem
e a colocá-las numa poesia com um pouco
de suavidade e de puerícia
no verbo!