terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

UM MITO E AS RATAZANAS

… ratazanas não ocupam
espaço em que fabricamos mitos
e deusas,

ratazanas soberbas
que se exercitam levantando paus
com suas bocas e corpos

e elevando o ego
com suas palavras doces, coloridas
e sensualmente poéticas.

Sim, ratazanas,
nem sabem tolerar igualmente
os movimentos do amor e do descontrole,
do bem e do mal

e não substituem
o que, por escolha, em nós mesmos
resolvemos nos plantar,

nem que se maqueiem,
que se vistam de princesas
ou de espetaculares ninfetas.

Ratazanas,
sobretudo as virtuais ratazanas
formadas, doutoradas, politicamente corretas,
poetisas

–  assim autoproclamadas –

aão conseguem
ocupar, sequerr por uma noite,
quem foi em nós criada como mito
ou deusa!