sábado, 1 de julho de 2017

SER SINTÉTICO



Os poemas longos
são como uma luz acesa
de madrugada,

incomodam mais
do que satisfaçam qualquer
coisa;

por isso
prefiro escrever
poesias curtas, tentando lhes colocar
passageiras eternidades

como as contidas
nos voos das borboletas ou nos cantos
dos canarinhos da

terra.