domingo, 16 de julho de 2017

O BEIJA FLOR SEM FLOR!



... para
este outrora beija-flor, as flores
se tornaram inexistentes
ao deserto

onde
me desterro,  dolorosa e Angustiadamente,
com meus torpores
e segredos;

eu e eu somente
a me escorrer seco em solitários perdimentos e em frígidos
pensamentos,

eu e eu somente
com minha mente cinza
e meus poemas cansados

e dementes!