domingo, 2 de julho de 2017

ELA E ELE


“Amigo,
você estava certo
sobre o que me dizia
sobre imagens e pedras do caminho;
preciso de você.”

"A verdadeira traição se faz
pela fausta palavra, e, através dela,
toda ilusão é abstrata; assim como todos
os fulgores e lavores
da carne.

E não foi desta mesma forma
que me morri de ti, entre angústias e dores,
ao árido e solitário deserto
a que me desterrei,
mulher?

Decerto,
ainda tens muito a aprender,
antes que o apagamento
lhe tome a fausta
miragem:

o amor
regozijado por ti não fora eterno
– por impossibilidade sapiens de o ser –
como dizias,

mas a morte
por apedrejamentos com imagens de teus
enlaces sacros,
sim;

e não sou mais menestrel
– nem poeta – para ofertar-te sonhos exíguos,
nem médico para aliviar-te as dores
desse corpo cansado;

menos ainda
sacerdote para ofertar algum alívio
à angustiada
alma.

Transformei-me
nisso que vês por aí: um sujeito ermo
a caminhar entre as cinzas
e os vazios de nossas
quedas!"