domingo, 2 de julho de 2017

A SINTAXE DO SER



... os sonhos na poesia,
os êxtases nos corpos,
os medos nos escuros vazios,

a reinauguração em metáforas,
a vibração dos momentos,
os sobressaltos dos contratempos,

imagens,
ícones,
carnes,

medos,
assombros,
escombros,

a mão estendida,
a mão recolhida,
a mão e a escrita,
a mão nas genitálias extaticamente
aflitas,

o ser sem
rumo, sem prumo e sem norte
algum, embora os invente!