terça-feira, 4 de julho de 2017

ADO(RM)ECIDO



Estou-te omitindo
minhas torrentes chuvas
e vendavais;

e tu, abrigada
em dorsos de pássaros
azuis,

ousaste vir pedir-me
uma pacífica amizade
em prosas,

contra a qual
te atentarias novamente
em momentos
de vesania e fulgor,

contrariando
a silente sabedoria
da perda?