terça-feira, 4 de julho de 2017

EU, COMO QUALQUER OUTRO!



... o grande erro
que não captam do que chamam
de vida

é exatamente
a perda, entre imagens de toda ordem
e ossos roídos aos chãos

da consciência
de que, a cada dia, a única
coisa que conquistam

é um tempo
a menos à sua decadência
derradeira!