quarta-feira, 5 de julho de 2017

A VIDA SEM SENTIDO



O cavalo que
dei a minha filha amanheceu
morto no pasto;

enquanto ela
chorava, mandei pôr fogo
à carcaça.

O canário que
dei a meu filho amanheceu
morto na gaiola;

enquanto ele
chorava, tirei-o e joguei
fora.

Aquele grande amor
que te dei não estava mais vivo
na aurora,

enquanto
tu já brincavas com outros

de fora.