terça-feira, 7 de agosto de 2018

LEMBRA-TE DE MIM!

Quando eu me partir
para a distante terra escura
e silenciosa,

lembra-te
de mim!

Não poderás mais
afagar-me a cansada fronte,

nem pegar,
para caminharmos minhas
mãos,

nem tão pouco
me amar em nossa simples
mas quente cabana;

mas, quando eu morrer,
não nos sonhe mais em algum hipotético
futuro, nem lamente o que houve
ou deixou de nos haver
no passado:

sim, qquando eu morrer,
apenas me leve na lembrança,
mas sem te esqueceres de que,
se não te amei como
querias,

foi porque não consegui,
foi porque estava imbutido da condição
humana!