quarta-feira, 14 de março de 2018

A BELA ERA TAMBÉM UMA FERA!

Graciosa e bela,
permitiste que muitos voassem
teus céus,

e se deitassem
em teus esplêndidos leitos
de nuvens,

e te amassem
em brancas camas o corpo
nu,

nos verões
em que te insinuavas aos anjos
e aos soberbos feitos de luzes
de neon:

a mim, porém,
que tanto te amava, só me permitiste
ouvir a navalha de tua fria
palavra,

frequentar
teu rigidíssimo e enregelado inverno
morta

e me ferir
mortalmente nas afiadas pedras
de teus escondidos
chãos!