sexta-feira, 14 de julho de 2017

NÃO HÁ ETERNIDADE, A NÃO SER NA MORTE!



Eu sonhei
e vi a morte
da santa meretriz
entre as luzes
sapiens;

mas, desta vez,
resolvi me silenciar,
longinquamente,
ao desterrado
deserto,

e apenas contemplar
os tremes-tremes caudais,
as vesanias exíguas
e as coleções de pedras
e de quedas da vil

protozoária.