terça-feira, 11 de julho de 2017

“FAÇA-SE A LUZ, E TUDO SE REINAUGUROU AOS OLHOS SAPIENS!



Tudo depende
das sencientes fluorescências 
que violam as virgindades
das sombras;

por exemplo,
em uma noite dessas,
sob a total escuridão de meu quarto,
pensei ter visto
fantasmas

que me contemplavam,
como que a tentarem elucubrar
meus feitos, segredos
e pecados;

noutra;
contemplei-a
– ao ausente amor de minha vida –
voando sobre nuvens
de um lindo céu
azul,

a me convidar,
em cândido e sincero sorriso.
para um esplende

voo de asas.