terça-feira, 11 de julho de 2017

ENFERMIDADE



Ao fulcro avesso
e enfermo de nossos egos,
ó nobre e pura flor
de inverno,

tua luz não
é tão diferente de minhas solitárias
e entenebrecidas
noites:

tanto tuas
alvas tremeluzentes, quanto
minhas angustiantes
sombras

acomodam
sérias dúvidas e faustas
dissimulações
silentes.