sexta-feira, 14 de julho de 2017

ATÉ PARADA, SEM FAZER NADA, SEDUZ!



... na praça,
cheia de flores e de árvores,
ela estava sentada,

com o olhar perdido
em algum ponto invisível do
horizonte murado;

pernas cruzadas,
mãos sobre as belas coxas
repousadas,

ondulando,
mesmo sentada, causando-me
extáticas sensações, em meus silêncio
e em minha calmaria
serenada!