terça-feira, 11 de julho de 2017

AINDA ESPERANDO AMANHECER!



No sonho que tive
nesta noite, a rainha olvidou
os menestréis e arlequins
da corte;

e, contra eles,
corajosamente se rebelando,
revelou-lhe as asas
abertas,

em grande
e sublime amor pelo cão
plebeu:

somente quando acordei,
foi que percebi o que lhe custou
tal ousadia:

a única flor
que havia em meu jardim
estava morta!