sábado, 15 de julho de 2017

A FRAGILIDADE DA LUZ



... ó luz pura,
ó anjo cristalino,
ó ser autoproclamado dos quatro
elementos,

eu só não
te como, porque é impossível,
nessa disputa de ego, seguida
de genitálias,

quem me come
(engolindo meu grosso e grande

calibre) é você!